Paris, a Cidade Luz

Cidade que respira cultura e transpira os odores de sua mundialmente famosa gastronomia

Holanda: liberdade e tradição lado a lado

O encantador país que mantem suas tradições, mas também demonstra toda a modernidade do primeiro mundo

Gramado: um pedacinho da Europa no Rio Grande do Sul

O destino turístico mais procurado do RS atrai o público com suas infinitas belezas e atrações, não só no inverno

Sim, o Rio de Janeiro continua lindo

Uma cidade exuberante que, apesar dos problemas, nos encantou

Uruguai: tradição, tranquilidade e amabilidade

Nosso irmão menor mostra sua face tranquila, suas belezas naturais e cultos à tradição

sábado, 25 de novembro de 2017

Dicas para uma road trip sem problemas

A maior parte de nossas viagens acontece de carro. Além de acharmos uma maneira muito prática, esse tipo de viagem nos dá muita liberdade para ir onde quisermos, parar sempre que acharmos necessário, descobrir partes do caminho que não encontraríamos de outra forma. Viajando de carro não temos que nos preocupar com os horários engessados dos ônibus ou aviões. E ainda temos mais facilidade para levar nossa fiel escudeira, a cochorrinha Luli, que nos acompanha em boa parte das viagens há cinco anos.
Foto: Pixabay
Para que a viagem de carro ocorra da melhor maneira, uma série de cuidados devem ser tomados. Precisamos estar atentos à manutenção e documentação do veículo, saber qual a melhor ou mais agradável rota tomar, se e onde iremos fazer as refeições ou pernoitar. Para facilitar a vida de todo desbravador de estradas, reunimos algumas dicas bem práticas, de acordo com nossas experiências.

O carro

No nosso caso, a enorme maioria das viagens ocorreu em um de nossos carros. Isso, de certa forma, facilita um pouco a percepção de possíveis problemas, ou a necessidade de ajustes pontuais antes de pegar a estrada. De qualquer forma, é importante sempre seguir as recomendações de revisão dos fabricantes - normalmente a cada 10.000 km. Caso tenha pulado alguma delas, julgamos obrigatória a revisão antes da viagem, pois isso pode lhe poupar grande dor de cabeça. Verifique os fluídos, as lâmpadas, as suspensões, os freios... enfim, tudo! Já estive parado na beira da estrada em uma madrugada e a sensação não é nada agradável... Por outro lado, quando o veículo é alugado com uma das grandes empresas do setor (e com a RentCars você tem sempre o melhor preço), certamente o carro já está revisado e pronto para rodar.
Foto: Pixabay
Um aspecto muitas vezes deixado em segundo plano, mas que pode ocasionar grandes prejuízos é com relação ao combustível. Antes de viajar, ao preparar o roteiro, é interessante planejar onde serão os abastecimentos. Isso ajuda a pagar mais barato (no RS, por exemplo, há regiões em que o litro da gasolina custa R$3,60 e outro em que o valor chega a R$4,95) e a garantir a qualidade da gasolina ou etanol. Muitos fóruns citam bons e maus postos em diversas regiões. Sempre que podemos, buscamos encher o tanque repetindo o posto e garantindo a confiabilidade. Importante salientar que cada país possui especificações diferentes para a fórmula dos combustíveis. Verifique se a regulagem de seu veículo consegue interpretar isso!

Os pneus, grande ponto de segurança dos veículos, devem ser muito bem analisados antes da jornada começar, afinal são eles que dão a maior parte da estabilidade do veículo. Nunca rode com pneus com vincos menores que os indicados pelo fabricante, afinal a vida não tem volta! Além do estado, calibre sempre os pneus com a pressão correta pois, além de aspectos de segurança, isso fará economizar combustível e aumentar sua autonomia! Com relação aos pneus, tenha em mente o terreno onde você estiver rodando e as especificidades da viagem (como a necessidade de instalação de correntes para andar na neve, por exemplo).
Foto: Pixabay
Ainda com relação ao seu veículo, é essencial verificar a presença dos equipamentos de segurança obrigatórios. Verifique se o triângulo está no porta malas, se o cabo para reboque (exigido em alguns países sulamericanos) está guardado, dentre outros. Antes de sair do Brasil de carro, verifique sempre os equipamentos obrigatórios, evitando dores de cabeça!

Documentação

Os documentos do veículo e do condutor são as primeiras exigências dos policiais quando somos sorteados em alguma averiguação. Portanto, tenha certeza de estar portando a CNH antes de dirigir e de que o documento do veículo esteja com você. O veículo deve estar com o licenciamento em dia para estar apto a circular. Para as viagens ao exterior, por fronteira terrestre, certamente você deverá mostrar, na aduana, toda a documentação. Nestes casos, ainda, caso o proprietário do veículo não esteja presente, ele deverá enviar documentação autorizando o motorista a levar o carro para outro país. Caso o carro esteja alienado, ou com alguma ligação com instituição financeira, a empresa deve autorizar o carro a ultrapassar a fronteira, também.

Lembrando que ao atravessar as fronteiras terrestres do Mercosul, a CNH não dispensa a apresentação da carteira de identidade ou passaporte, fica a dica!

A viagem

A viagem sempre deve ser preparada com antecedência (lembra da revisão do carro?), para que se tenha a maior segurança de que tudo vai correr bem. Apesar da tecnologia do GPS, que facilita muito a descoberta de novos pontos, sempre temos também um mapa à moda antiga, impresso (de um guia da Abril, sempre bem completinho!). Fazemos isso para o caso de ficar sem sinal de GPS na estrada ou, caso tenhamos nos preparado para usar o GPS do celular, não ficarmos na mão se ficarmos sem internet. Na verdade, pouco usamos esse mapa, mas se precisarmos, ele estará lá!
Foto: Pixabay
Falando em mapas, GPS, é bom sempre prestar atenção nas atualizações dos mapas do GPS. De vez em quando é interessante esta atualização, principalmente para trechos urbanos, pois assim corre-se menos risco de ser mandado para ruas que mudaram de direção, por exemplo. Outra boa forma de guiar-se é através de aplicativo como o Waze, que usa a plataforma colaborativa informando onde há obras e acidentes, por exemplo. Sobre o GPS de celular, há alguns modelos que permitem o download de mapas, o que faz com que o mapa siga ativo, mesmo sem internet.

Ao preparar a vigem, uns dias antes é interessante verificar a situação das estradas por onde você passará. Costumamos dar uma olhada no Twitter das Polícias Rodoviárias, por exemplo, que citam sobre obras e possíveis interdições (por deslizamentos, chuva, manifestação). Além disso, há fóruns que falam sobre o estado geral da rodovia, para que já se esteja preparado para buracos, perigos e para calcular o tempo da trip! Também algo que faz muito parte de road tripos são os sustos com os valores dos pedágios. O site Mapeia faz esse cálculo (de forma aproximada). Lembre-se de levar grana para esses pagamentos!

O seu trajeto será longo? Lembre-se de fazer algumas pausas, para relaxar, dar uma espriguiçada e esticada nas pernas e braços. Aproveite os postos de combustível, ou alguma parada para passeio, vá ao banheiro, dê uma andada e revigore sua energia. Dirigir é cansativo, ainda mais depois de horas a fio no volante. Se for possível, faça o revesamento do motorista e tire um cochilo!
Foto: Pixabay
Caso seja necessário, é bom estar preparado para uma noite de sono. Preveja isso antes da viagem e já esteja preparado para parar em algum lugar para dormir. Normalmente em road trips de vários dias, já iniciamos a viagem sabendo até onde vamos a cada dia. Já fomos de Navegantes até Rio Grande, Depois de Rio Grande até La Paloma... Também já fomos pegas de surpresa com um cansaço extremo e paramos para cochilar por umas horinhas em um paradouro que nos pareceu seguro! O mais importante é: não subestime o sono!

Não esqueça, também, de criar e levar a sua playlist animada, divertida, pois a música transforma uma viagem! As músicas fazem o tempo passar muito mais rápido na estrada, além de integrar a galera e acalmar crianças (melhor, só um tablet com desenhos infantis!). Outro ponto a ser lembrado é uma caixa de isopor com alguns sanduíches, água, refrigerante e energético geladinhos... Os gaúchos costumam levar o chimarrão para ir sanando a sede. Snacks também são uma boa pedida, pois podem ser comidos sem perder a atenção na estrada! Só preste atenção a alimentos muito pesados ou gordurosos durante a viagem, pois além de darem um sono sanado, pode lhe causar algum desconforto estomacal!

Com todas essas dicas, agora é só curtir a viagem ao máximo, explorando cada vez mais esse mundão!


quinta-feira, 14 de setembro de 2017

O que ver em Santo Ângelo - RS

Ao  viajar para a região das missões, no interior gaúcho, o destino mais procurado é a cidade de São Miguel das Missões. Lá estão localizadas as ruínas mais preservadas dos Sete Povos. Ali pertinho, no entanto, está localizada a cidade de Santo Ângelo, que mantem viva o patrimônio arquitetônico dos anos 1700.
Santo Ângelo - RS é uma ótima opção de passeio na região das Missões Jesuíticas. Com sua igreja imponente, consegue manter vivos alguns aspectos arquitetônicos da era dos Jesuítas.

Como chegar

Santo Ângelo está localizado a cerca de 450 km de Porto Alegre. De carro, a viagem tem duração de cerca de seis horas. Há vôos que ligam a capital gaúcha a Santo Ângelo, porém não são todos os dias que eles são oferecidos. Utilizando o avião, a viagem - pela empresa Azul - dura puco mais de uma hora. Partindo de São Paulo, há vôos com conexão em Porto Alegre, apenas. Além disso há a opção de viagem aérea entre São Paulo e Chapecó (cerca de uma hora e meia de viagem sem escalas) e depois cerca de cinco horas de carro até Santo Ângelo. As estradas, no geral, são boas. Partindo de Porto Alegre, não há pedágios. Deve-se tomar cuidados a partir de Cruz Alta, onde alguns trechos não são muito bem sinalizados, e pode haver desníveis no asfalto.

Sobre a cidade


Santo Ângelo foi conhecida como a Capital das Missões, mesmo tendo sido o último dos Sete Povos fundado, no ano de 1676. A comunidade, gerida pelos padres Jesuítas, teve um grande desenvolvimento e prosperou durante anos, chegando a cerca de oito mil habitantes.

No ano de 1756, quando espanhóis e portugueses perceberam riscos nas reduções jesuíticas, o povoado foi destruído. Depois disso, por quase cem anos, a região ficou abandonada, até que nova leva migratória passou a reocupar a região de Santo Ângelo. No auge econômico da cidade o município chegou a ter cerca de 90 mil habitantes e uma economia pujante. Atualmente passa por um processo de reestabilização.

De acordo com o último Censo demográfico, Santo Ângelo possui atualmente pouco mais de 80 mil habitantes. A economia baseia-se no setor primário, com destaque para a agricultura, setor que move a região noroeste do Rio Grande do Sul.

O que ver em Santo Ângelo

Em função de toda a história da cidade, este é o principal aspecto encontrado nas atrações locais. A grande parte dos pontos de interesse está na região central. Ou mais precisamente na região praça. Para conhecer os principais pontos, bastam umas poucas horas. Uma manhã ou tarde é o suficiente.

Praça Pinheiro Machado

O início de nosso passeio se dá na principal praça do município, a Pinheiro Machado. Trata-se de uma ampla área, que mescla o estilo espanhol com o alemão. Fica bem em frente à Catedral, e possui uma grande esplanada com calçada, além de área verde. Completando o cenário, há um pequeno lago artificial com uma ponte, que dá um ar mais confortável ao lugar. Na praça Pinheiro Machado há várias esculturas e bustos, homenageando personalidades locais e o nacionalismo. Possui uma estrutura constituída de vários arcos homenageando e identificando cada uma das Reduções Jesuíticas. O local é muito bem conservado, possui grande área com sombra e é bem agradável estar por ali.

Catedral Angelopolitana

A catedral da cidade, que leva este nome por homenagear Santo Anjo da Guarda, está localizada na Praça Pinheiro Machado. Com construção entre os anos de 1929 e 1955, está localizada onde antigamente situava-se a Redução de Santo Ângelo Custódio. Há até, em exposição ao lado da construção, parte de escavações que mostram alguns resquícios das antigas fundações.

A Catedral tem construção em estilo gótico. Em sua arquitetura destacam-se vários detalhes, principalmente as imagens que decoram seu exterior, representando os santos padroeiros dos Sete Povos das Missões (São Borja, São Nicolau, São Luis Gonzaga, São João Batista, São Lourenço Mártir, São Miguel Arcando e Santo Ajo da Guarda - ou Santo Ângelo Custódio). No interior, bastante sóbrio, destacam-se a cruz de Jesus, de origem missioneira, em cedro, estilizada por volta do ano de 1740 e os coloridos vitrais.

Museu Municipal Doutor José Olavo Machado

O Museu Municipal de Santo Ângelo está localizado na Rua Antônio Ribas, em uma das esquinas da praça central. O prédio de sua sede é tombado pelo Patrimônio Histórico Municipal, por ter sido um dos primeiros do local. Com enfoque na história dos Sete Povos, apresenta material retirado das escavações da região - como porcelanas, vasos, pontas de flechas e outros utensílios utilizados pelos índios guaranis. Além disso, destaca-se a maquete que apresenta a antiga redução de Santo Ângelo Custódio. O Museu apresenta, também, algumas peças que marcaram a evolução da cidade, como calculadoras antigas, instrumentos cirúrgicos de décadas passadas, móveis e ferramentas de época. Destoando um pouco, no local há também uma réplica da tocha olímpica que passou pela cidade em 2016. A entrada é gratuita.

Cruz Missioneira

Localizada na Praça Pinheiro Machado, a cruz simbolizava, para os Jesuítas, o bem contra o mal. Os dois braços horizontais representavam a fé redobrada, foco e abnegação. A cruz era considerada um amuleto usado na proteção espiritual contra todos os males. São encontradas cruzes como esta em várias das antigas Reduções.

Outros pontos interessantes

Há alguns outros pontos de interesse na cidade. Infelizmente não conseguimos visitá-los. Na antiga Estação Ferroviária (desativada em 1969) hoje existe o Memorial Coluna Prestes. Neste museu são expostos documentos, fotos e objetos de época abordando a marcha que atravessou o Brasil. Mais informações podem ser encontrados no blog Repórter Unijuí.

Já em frente ao Teatro Municipal encontra-se o Monumento ao Índio. Uma rica homenagem aos guaranis que habitavam a região. Mais informações no blog Monumentos Históricos de Santo Ângelo.

quinta-feira, 31 de agosto de 2017

Vinícolas em Curitiba - Caminho do Vinho

Adoramos passear por vinícolas! Para quem já conhece o blog, isso não é novidade. Vira e mexe temos uma publicação sobre algum empreendimento enogastronômico. Já visitamos Bento Gonçalves e o Vale dos Vinhedos (Casa Valduga, Miolo, Salton, Aurora), Garibaldi, Monte Belo do Sul, Pinto Bandeira. Já passamos por festas que celebram a vindima e o vinho (aqui, aqui e aqui). Além desta bela região gaúcha que destaca-se com a produção vinícola, já passamos - e ainda não publicamos - por várias vinícolas catarinenses, em São Joaquim e Urussanga.

Mesmo visitando Curitiba por diversas vezes - até porque a Lis é curitibana - me surpreendi quando soube que a capital paranaense tem um roteiro rural que reúne alguns estabelecimentos que produzem e vendem a bebida de Baco. Tivemos a chance de conhecer parte desta rota, em um ambiente muito bucólico e agradável, a poucos quilômetros da BR-277.

Como chegar



Bom, na verdade o roteiro não fica exatamente em Curitiba, mas sim em São José dos Pinhais, na região metropolitana. Para quem parte das regiões centrais da capital paranaense, há diversas opções para chegar até o roteiro. É claro que as mais fáceis são sempre de táxi e Uber (clica aqui e ganhe um desconto!) ou Cabify. Outra boa opção é alugar um carro e seguir até lá usando o GPS! Para ir até o início do roteiro, o endereço a ser buscado é Rua Júlio Cesar Setenareski, snº / Colônia Mergulhão, São José dos Pinhais, Paraná (o mapa acima mostra esse endereço). A rota está a cerca de 25km do Jardim Botânico.

Para quem ja está pensando em passar o dia passeando, conhecendo as vinícolas e ainda degustar muitos produtos diferentes sem precisar dirigir ou procurar endereços, uma excelente opção é a Linha Turismo. Trata-se de um ônibus que parte do Shopping São José, em São José dos Pinhais. Há linhas urbanas de ônibus que partem do Terminal Guadalupe, em Curitiba, e vão até este shopping. A passagem de ônibus para o roteiro custa R$20,00, e mais informações estão disponíveis neste site.



O Caminho do Vinho

Na zona rural de São José dos Pinhais, na grande Curitiba, a Associação Caminho do Vinho abre espaço para o turismo rural na Colônia Mergulhão. Em um ambiente bucólico, típico do interior, vários estabelecimentos abrem suas portas e vendem sua produção de vinhos, biscoitos, licores, queijos, embutidos e artesanato. O Caminho do Vinho possui 34 propriedades rurais envolvidas nas mais diversas atividades como vinhos, restaurantes e cafés coloniais, chácaras de eventos e lazer, minhocário, pesque-pague, pousada, receptivo local, artesanato entre outras. Mantém ainda hoje edificações típicas da colonização italiana, bem como de outras influências, consideradas de valor histórico, e muitas continuam sendo utilizadas pelas famílias locais.

Como nossa vista a Curitiba foi rápida, conhecemos apenas alguns estabelecimentos do Caminho do Vinho, ficando com vontade de quero mais! Certamente o local merece uma visita mais completa, onde passaremos por outras unidades familiares.

Nossa visita começou pela Adega Bortolan, situada no começo do roteiro, em um belo casarão histórico, decorado com floreiras nas janelas. Internamente conta com decoração que lembra a tradicional família vinda da Itália, com fotos e objetos históricos. A Adega oferece vinhos e espumantes de produção própria, além de diversos outros produtos, como sucos, bolachas, temperos, embutidos e conservas. O ambiente é amplo e muito agradável e a casa oferece seus vinhos para degustação. Quando visitamos o local, a parte destinada a produção estava fechada para visitas, em decorrência de uma pequena reforma. Além da loja e produção, a Adega Bortolan possui um pequeno jardim, cenário para belas fotos!

Quase na frente da Adega Bortolan, encontramos outra vinícola, a Vinhos Vô Vito. O prédio da Vinhos Vô Vito lembra uma grande pipa de vinho, dentro da qual encontramos o varejo, além de um espaço temático onde ficam expostos alguns itens históricos, como rodas de carroça, barris, artigos de decoração e garrafas.  A vinícola vende produtos próprios, assim como a Adega Bortolan. No empreendimento são vendidos, além dos vinhos, biscoitos, sucos e o chopp de vinho (que compramos, mas não gostamos muito). Anexo à vinícola há um belo restaurante, mas que estava fechado qundo estivemos por lá. Ainda na Vô Vito há uma área de lazer, com brinquedos e esculturas de dois senhores tocando sanfona.

Seguindo o Caminho do Vinho, não muito longe de nossa última parada chegamos ao Vitis Vinifera Vinoteca. Esse empreendimento não trata-se de uma vinícola, mas sim de uma bujtique de bebidas, molhos e artigos alimentares. Em um ambiente bem moderno e super bem decorado, foi o destaque em nossa visita. A loja é muito bem equipada, com diversas marcas de cervejas artesanais, vinhos, vinagres, azeites, destilados, molhos, salgados. Além de tudo isso, ao fundo dispõe de um bar, onde são servidas diversas bebidas e, dentre elas, várias opções de chopps. Aproveitando a área externa, com mesas e bancos estrategicamente colocadas debaixo de belas árvores, ficamos ali petiscando e provando os chopps saborizados. Caso tenha o tempo escasso, uma visita a ao Vitis Vinifera Vinoteca vale pelo happy hour, uma vez que o ambiente é bem despojado e os produtos de excelente qualidade.

Para encerrar nosso passeio de algumas horas pelo Caminho do Vinho, de São José dos Pinhais, passamos também pelo Vinhos do Italiano, uma loja bem simples, mas que reúne grande diversidade de produtos coloniais. Além da comercialização de vinhos, o estabelecimento possui diversas variedades de queijo, salame, bolacha, compota. Ali vendem, ainda, sua produção de frutas cristalizadas e cucas. Os produtos são bem fresquinhos e simplesmente deliciosos!

Booking.com
Nosso passeio pelo Caminho do Vinho foi uma delícia. Apesar da simplicidade, os produtos comercializados são uma delícia, e o atendimento é muito próximo e humano. Há diversos outros empreendimentos que não conseguimos visitar, e isso com certeza nos fará voltar até lá!

Serviço

Caminho do Vinho
Endereço: Colônia Mergulhão, São José dos Pinhas, PR
Site: http://www.caminhodovinho.tur.br/

Essa foi mais uma blogagem coletiva, dia em que vários blogueiros se unem para falar sobre o mesmo tema. Aqui embaixo estão outros blogs falando sobre Vinícolas pelo Mundo:

Viajonários - Califórnia: Vinícola Calcareous em Paso Robles
Turistando.in - Tour degustação em vinícolas chilenas
Viagens Invisíveis - 05 vinícolas para conhecer antes de morrer
Viaje na Web - Groot Constancia - Vinho com chocolates na Vinícola mais antiga da África do Sul
Atravessar Fronteiras - Hospedagem na Casa Valduga
Viajento - Niagara-on-the-lake - Vinícolas no gelo e a produção do ice-wine
Por aí com os Pires - 04 Vinícolas que encantaram os Pires no Sul do Brasil
Trilhas e Cantos - Franschhoek, África do Sul: conhecendo a linda Vinícola Boschendal
Por aí e Por aqui- 5 Vinícolas, 3 países e algumas degustações
Viagens que Sonhamos - Vinícolas com experiências diferentes na Serra Gaúcha
Ligado em Viagem - Tour privado na Vinícola Santa Carolina em Santiago do Chile
Freitas para o Mundo - Bate e Volta de Florença - Conhecendo o famoso Brunello de Montalcino

quinta-feira, 6 de julho de 2017

Festiqueijo- Carlos Barbosa, RS

Festiqueijo - Carlos Barbosa - RS - Brasil. Festival gastronômico com destaque para o queijo e vinhos produzidos na serra gaúcha.

A Festiqueijo é um festival gastronômico que ocorre no município de Carlos Barbosa, na serra gaúcha. Durante os finais de semana de julho, pessoas de todas as partes do Rio Grande do Sul se encontram no salão paroquial da cidade e desfrutam das delícias produzidas na região, especialmente os queijos e vinhos.

Localização

A Festiqueijo ocorre no salão paroquial de Carlos Barbosa, que fica bem ao lado da principal igreja da cidade, na rua Prefeito José Chies, 193. Ao chegar na cidade, basta seguir a avenida principal e chegar até lá.

A Festiqueijo
Festiqueijo - Carlos Barbosa - RS - Brasil. Festival gastronômico com destaque para o queijo e vinhos produzidos na serra gaúcha.

A Festiqueijo é um festival gastronômico que acontece desde o ano de 1987. Em 2017 está ocorrendo a 28ª edição deste que se tornou um dos principais eventos de gastronomia do Rio Grande do Sul. O festival faz uso de dois dos principais produtos da região: o queijo e o vinho. Carlos Barbosa, além de ser a terra da Tramontina, mantém muitos produtores de leite e indústrias processadoras de laticínios, além de estar na região que mais produz vinhos no Brasil.
Festiqueijo - Carlos Barbosa - RS - Brasil. Festival gastronômico com destaque para o queijo e vinhos produzidos na serra gaúcha.

Esta foi nossa primeira vez na Festiqueijo e, apesar do alto valor do ingresso (entre R$110,00 e R$120,00), achamos que valeu muito a pena! Ao contrário do que se pensa sobre festas em salão paroquial, aqui a simplicidade passa longe. O local é super bem decorado e faz uso de tecnologia para a iluminação é áudio perfeitos. As bancas de produtos são bem montadas e decoradas, lembrando uma vila italiana. O palco tem sempre alguma atração animando o público. O ambiente, sempre alegre, está sempre sendo limpo, evitando vinho, papéis e restos de comida no chão. Organização perfeita!
Festiqueijo - Carlos Barbosa - RS - Brasil. Festival gastronômico com destaque para o queijo e vinhos produzidos na serra gaúcha.

O principal do evento, claro, são as comidas e bebidas. No centro do salão há mesas sempre repletas de delícias como pastel e bolinhos de queijo, pizza de mussarela, polenta brustolada, grustoli, picles, galeto e salsichão. Nas laterais do salão as estrelas principais: várias bancas de produtores de vinho e queijo. E o que é bom, fica ainda melhor: está tudo incluso no valor do ingresso. Na entrada do evento ganha-se uma taça e um garfinho. Com eles em mãos, basta escolher o produto de preferência e se deliciar. São vários tipos de vinho tinto, branco, espumantes, sucos, água, refrigerantes e café. Para comer, são mais de 40 tipos de queijo, pão de queijo, salame, copa, linguiça, fondue, pães e cucas. Me dá água na boca só de lembrar!

A experiência foi ótima! Ficamos no salão por cerca de quatro horas (sem poder sentar, pois é uma das regras do evento) aproveitando cada sabor, cada música e cada momento de alegria. Com certeza ficaremos ligados nas próximas edições para retornar!
Festiqueijo - Carlos Barbosa - RS - Brasil. Festival gastronômico com destaque para o queijo e vinhos produzidos na serra gaúcha.


Serviço

Festiqueijo 2017, em Carlos Barbosa-RS
Quando: às sextas-feiras, sábados e domingos, entre 30.06 e 30.07
Valor dos ingressos: crianças até 7 anos: grátis. Crianças de 8 a 12 anos: R$55,00. A partir de 13 anos, nas sextas-feiras e domingos: R$110,00. A partir de 13 anos aos sábados: R$120,00
Horário de funcionamento: sextas-feiras - das 18h às 22h. Sábados - das 11h às 22h. Domingos - das 11h às 17h
Ingressos: no site do evento, ou diretamente na bilheteria, na entrada do salão
Site: http://www.festiqueijo.com.br/home

terça-feira, 23 de maio de 2017

Avaliação - Cometa Plaza Hotel - São Luiz Gonzaga - RS

Estivemos fazendo um passeio pela região das Missões, no interior do Rio Grande do Sul. O local mais procurado deste pedaço gaúcho são as Ruínas de São Miguel, um sítio arqueológico que reúne parte importante da história da formação da região dos pampas. Como não fizemos um planejamento tão preciso, no final de semana que resolvemos ir até lá (Carnaval), não encontramos nenhuma vaga de hotel na cidade de São Miguel, por isso acabamos nos hospedando na cidade de São Luiz Gonzaga, a cerca de 50km de lá.
O Cometa Plaza Hotel está localizado em frente à praça central de São Luiz Gonzaga, no Rio Grande do Sul. Está a cerca de 50km das Reduções Jesuíticas de São Miguel, nas missões gaúchas.


Ficamos hospedados no Cometa Plaza Hotel, muito bem localizado, na região central, bem em frente à principal praça da cidade. Encontramos o hotel efetuando nossa pesquisa no Booking.com, do qual somos filiados. Portanto, se quiser colaborar com nosso blog, da próxima vez que buscar um hotel, comece sua pesquisa pelo banner do Bokking.com, aqui do ladinho do texto!

Localização:

O Hotel

Devido a sua localização, é muito fácil encontrar o hotel. Exatamente em frente à praça central, ao chegar a São Luiz Gonzaga, basta dar uma voltinha por essa região e encontrá-lo. Outros pontos de referência são a Igreja Matriz e a Prefeitura Municipal (como você pode ver no mapa acima). Há varias vagas de estacionamento em frente ao hotel, além de a entrada da garagem estar acessível logo na chegada.
O Cometa Plaza Hotel está localizado em frente à praça central de São Luiz Gonzaga, no Rio Grande do Sul. Está a cerca de 50km das Reduções Jesuíticas de São Miguel, nas missões gaúchas.

Ao chegarmos no hotel nos deparamos com uma escada bem ingrime, já que a recepção fica no segundo piso. No térreo há uma loja (que passava por reformas), além da garagem do hotel. A garagem tem ligação direta através do elevador, mas como não sabíamos deste detalhe, acabamos usando a escadaria mesmo. Sobre a garagem, ainda, é bom saber que ela tem vários dos pilares do prédio, o que torna necessário realizar várias manobras para estacionar, dependendo da vaga escolhida. No primeiro piso, além da recepção há a sala do café da manhã (do qual falaremos depois), além de uma sacada, de onde é possível avistar a praça central e a rua. Ali servem bebidas, como cerveja, por exemplo. A decoração do hotel é bem simples e, em alguns pontos, há quadros com temas indígenas, tema constante na região das missões.
O Cometa Plaza Hotel está localizado em frente à praça central de São Luiz Gonzaga, no Rio Grande do Sul. Está a cerca de 50km das Reduções Jesuíticas de São Miguel, nas missões gaúchas.

O apartamento

O apartamento é bem simples, mas mesmo assim confortável. Apresenta o quarto, com cama de casal e criados-mudos, mesa com cadeira, televisor de LED com alguns canais de TV a cabo (imagem não é perfeita, mas não nos incomodou), frigobar e o roupeiro. a cama tem tamanho bom é confortável. O frigobar funcionou corretamente, assim como o ar condicionado. A janela é coberta por uma cortina e um black-out, que elimina a claridade. Nosso apartamento era de fundos, nos dando a chance de curtir uma bela vista do nascer do sol. O banheiro em um tamanho bom, assim como o apartamento. Apresentava toalhas de rosto e corpo (em nossa chegada faltava uma toalha de banho que foi prontamente reposta pela recepção) além de um mini kit de comodidades com shampoo e sabonete. A ducha tem temperatura e pressão de água boas.
O Cometa Plaza Hotel está localizado em frente à praça central de São Luiz Gonzaga, no Rio Grande do Sul. Está a cerca de 50km das Reduções Jesuíticas de São Miguel, nas missões gaúchas.


O café da manhã

O café da manhã é servido em uma sala do primeiro andar do Cometa Plaza Hotel, próximo à recepção. A sala é bem pequena, com algumas mesas dispostas próximas ao buffet. São servidos, além de café, leite, sucos e iogurtes, algumas variedades de pães, bolos e frios. O café da manhã é bem simples, mas suficiente para a primeira refeição do dia, além de condizente com o nível do hotel. Como acordamos bem cedo, tomamos café da manhã antes de sair para dar uma voltinha pela cidade e, na volta, ainda pudemos aproveitar para tomar um suco de laranja natural bem gostoso. Na sala de café a decoração segue o tema indígena como nas áreas comuns do hotel.
O Cometa Plaza Hotel está localizado em frente à praça central de São Luiz Gonzaga, no Rio Grande do Sul. Está a cerca de 50km das Reduções Jesuíticas de São Miguel, nas missões gaúchas.


Serviço

Cometa Plaza Hotel
Rua Salvador Pinheiro Machado, 1413, São Luis Gonzaga - RS
Telefone: 55 3352 8800
Site: www.cometaplazahotel.com.br
Apartamentos: são 58 apartamentos, divididos em seis espécies - de standard a suíte premium. Nossa avaliação foi baseada na experiência em um apartamento tipo luxo.
Tarifário padrão: de R$92,00 a R$259,00. Nossa hospedagem, para casal, em apartamento luxo custou R$179,00.
Bela vista do nascer do sol a partir do Cometa Plaza Hotel, que está localizado em frente à praça central de São Luiz Gonzaga, no Rio Grande do Sul. Está a cerca de 50km das Reduções Jesuíticas de São Miguel, nas missões gaúchas.

Nossa hospedagem no Cometa Plaza Hotel foi muito boa. O hotel oferece conforto e comodidades compatíveis com seu padrão de preço. A equipe é atenciosa e não sofremos com qualquer tipo de problema. Para quem visita as Missões Jesuíticas, como foi nosso caso, não é a melhor opção em função da distância até São Miguel das Missões. Mas para nós, que não conseguimos nenhuma vaga naquela cidade, serviu bem. Hotel bom para uma ou duas noites, apenas. Após esse prazo pode se tornar cansativo tanto pela pouca quantidade de opções de entretenimento, quanto pela simplicidade do café da manhã que passará a ser enjoativo.

terça-feira, 2 de maio de 2017

Atração grátis em Gramado: Le Jardin - Parque de Lavandas

Gramado é o principal destino turístico do Rio Grande do Sul. Possui muito charme, em uma cidade que parece ter saído do cenário de filmes. Com todas as qualidades, tem, no entanto, um probleminha: costuma ter atrações e serviços bem caros! Principalmente durante as principais festas da cidade, como a Páscoa, o Natal Luz e o Festival de Cinema. Mas mesmo com estes predicados, podemos encontrar em Gramado ótimas atrações gratuitas, sendo uma delas o Le Jardin - Parque de Lavandas.
Le Jardin Parque de Lavandas. Parque com acesso gratuito em Gramado-RS, que reúne em grande área belíssimos jardins, muitas flores e estufas.


Localização

O Le Jardin está localizado na Rodovia RS 115, nº 37700, no bairro Várzea Grande, em Gramado. Fica no início da estrada que liga Gramado a Três Coroas. Para quem sai de Gramado, fica do lado esquerdo da rodovia. Saindo do centro de Gramado, da Avenida Borges de Medeiros, o Le Jardin fica a cerca de 4 km.


O Le Jardin Parque de Lavandas

Um local surpreendente. Assim posso resumir meu sentimento ao conhecer o Le Jardin Parque de Lavandas, em Gramado. E pensar que fomos parar lá após uma busca de "atrações gratuitas em Gramado", no Google!
Le Jardin Parque de Lavandas. Parque com acesso gratuito em Gramado-RS, que reúne em grande área belíssimos jardins, muitas flores e estufas.

Logo na entrada nos deparamos com um grande letreiro, indicando que ali está o lugar. Após o pórtico e estacionarmos o carro (também grátis), subimos as escadas que dão acesso à loja e aos jardins, e logo nos deparamos com um lindo cenário, muito florido e com um pequeno e charmoso chafariz, tornando a sensação ainda mais agradável. Aqui da entrada, já podemos observar, ao fundo, parte de toda a magia do ambiente, que, com tantas cores, passa alegria e bem estar.
Le Jardin Parque de Lavandas. Parque com acesso gratuito em Gramado-RS, que reúne em grande área belíssimos jardins, muitas flores e estufas.

Conforme fomos andando pelo Le Jardin, percebemos que cada detalhe é pensado. O uso das flores é divino, transformando simples canteiros em jardins bem elaborados. Um prato cheio para que gosta ou trabalha com jardinagem e decoração.
Le Jardin Parque de Lavandas. Parque com acesso gratuito em Gramado-RS, que reúne em grande área belíssimos jardins, muitas flores e estufas.

Na grande área do empreendimento, há, ainda, um pequeno bosque e um setor com várias estufas, onde são produzidas as mudas de flores, temperos, folhagens que são usadas na decoração do local e que também podem ser adquiridas pelos visitantes. São inúmeras variedades, com preços bem em conta. Vimos plantinhas a partir de R$5,00 por lá.
Le Jardin Parque de Lavandas. Parque com acesso gratuito em Gramado-RS, que reúne em grande área belíssimos jardins, muitas flores e estufas.

Anexo ao jardim, se encontra a loja temática do Le Jardin. A decoração do ambiente é feita com os próprios produtos da loja, o que a torna encantadora. E não é preciso falar que o carro-chefe da boutique são arranjos de lavanda, não é mesmo?! Além disso há uma série de artigos decorativos, além de arranjos e cosméticos. Também no ambiente da loja há um espaço destinado a um pequeno café. Ali são servidos alguns cafés, chás e salgados, além daquele que dizem ser o melhor struddel de Gramado. Provamos apenas o chá, servido em uma caneca, e realmente é muito bom. Ainda mais se deliciado apreciando parte dos jardins!

Booking.com

Serviço:

Horário de funcionamento: de terça-feira a domingo, das 9h30min às 17h30min. O café e as estufas fecham às 17h.
Valor do ingresso: grátis
Estacionamento: sim, grátis
Para grupos maiores de 12 pessoas, deve ser realizado agendamento da visita, pelo telefone 54 3286 4280
É proibido realizar ensaios fotográficos profissionais sem prévio agendamento
Site oficial: http://lavandas.com.br
Le Jardin Parque de Lavandas. Parque com acesso gratuito em Gramado-RS, que reúne em grande área belíssimos jardins, muitas flores e estufas.

Quem mais esteve lá

Devaneios de Biela
Viajar é tudo de bom
Mesmices da Vida

sábado, 25 de março de 2017

Monumento Nacional ao Imigrante, Caxias do Sul

Caxias do Sul, a segunda maior cidade do Rio Grande do Sul, mantem até hoje laços culturais muito fortes com a cultura de seus fundadores. A cultura italiana é sentida por toda a parte: nas feições do povo, na arquitetura, na gastronomia, nos grupos culturais... Para homenagear os imigrantes que desbravaram a região, ainda nos anos 1950 surgiu a ideia da construção de um Monumento ao Imigrante, que acabou sendo inaugurado em 1954.
Monumento Nacional ao Imigrante, em Caxias do Sul, Rio Grande do Sul. Uma homenagem aos desbravadores da região, mostra um casal de agricultores com seu filho no colo, observando as terras da cidade. Hoje abriga o Museu da Imigração, com exposições permanentes e temporárias.


Localização

O Monumento está localizado na BR-116, rodovia que cruza o centro urbano de Caxias do Sul, no km 150, bem em frente a uma das principais entradas da cidade, em frente ao acesso à Avenida Júlio de Castilhos.


O Monumento Nacional ao Imigrante

O Monumento, imponente em sua localização, foi construído em bronze, com 4,5 metros de altura, e representa um casal de imigrantes e seu filho bebê - no colo da mulher, observando as terras que foram colonizadas. No caso, o casal observa todo o desenvolvimento de Caxias do Sul, uma vez que em sua posição é possível a vista panorâmica de bairros urbanos da cidade. A ideia das figuras do Monumento Nacional ao Imigrante partiu do escultor Antonio Caringi, e foi escolhida em um concurso, com diversos projetos. Além do casal de imigrantes e seu filho, completa o Monumento um grande obelisco adornado com imagens relativas a posse da terra, a agricultura e a união civil e militar unidas pela fé.
Monumento Nacional ao Imigrante, em Caxias do Sul, Rio Grande do Sul. Uma homenagem aos desbravadores da região, mostra um casal de agricultores com seu filho no colo, observando as terras da cidade. Hoje abriga o Museu da Imigração, com exposições permanentes e temporárias.


Booking.com

O Museu do Imigrante

No mesmo local, em uma cripta construída abaixo do Monumento Nacional ao Imigrante, existe o Museu do Imigrante. Dedicado não somente à cultura italiana, o espaço é utilizado em exposições permanentes que mostram várias culturas que deixaram suas regiões originais e vieram construir uma vida e um país novo, distantes pelo menos um oceano de sua terra natal.
Monumento Nacional ao Imigrante, em Caxias do Sul, Rio Grande do Sul. Uma homenagem aos desbravadores da região, mostra um casal de agricultores com seu filho no colo, observando as terras da cidade. Hoje abriga o Museu da Imigração, com exposições permanentes e temporárias.

Com exposições que mostram fotos, utensílios e muitos baners com textos, o Museu do Imigrante apresenta parte das dificuldades e necessidades passadas pelas culturas alemã, italiana, japonesa, dentre outras que vieram trabalhar no Brasil. O Museu apresenta, ainda, mostra fotográfica sobre a construção do Monumento externo, maquete da obra, além de reprodução de documentos, como listas de embarque em navios que partiram da Europa para cá.
Monumento Nacional ao Imigrante, em Caxias do Sul, Rio Grande do Sul. Uma homenagem aos desbravadores da região, mostra um casal de agricultores com seu filho no colo, observando as terras da cidade. Hoje abriga o Museu da Imigração, com exposições permanentes e temporárias.

Com relação a exposições temporárias, elas são rotativas e geralmente apresentam trabalhos de artistas da região de Caxias do Sul. Em nossa visita estavam sendo mostradas obras de mulheres caxienses e sua importância no desenvolvimento da cidade.

Serviço:

Monumento Nacional ao Imigrante e Museu do Imigrante
Ingresso: grátis
Estacionamento: sim, grátis
Tempo da visita: em torno de 30 minutos, pode alongar caso alguma excursão esteja visitando o local
Horário de atendimento: de terça-feira a domingo, das 9h às 17h
Guia: sim, há monitores que explicam sobre a história e exposições.

domingo, 5 de março de 2017

A Fonte da Fertilidade, em Cândido Godói, RS

No noroeste do Rio Grande do Sul, uma pequena cidade leva a fama de "Terra dos Gêmeos". Trata-se de Cândido Godói, município de cerca de 7 mil habitantes, próximo a Santa Rosa e das Missões Jesuíticas. Cândido Godói ganhou esta fama, pois tem um número incrível de gêmeos que nascem por lá. Segundo pesquisas, a frequência de gêmeos em Cândido Godói é dez vezes maior do que em qualquer outro local do mundo!
Cândido Godói, no noroeste gaúcho, tem a fama de "Terra do Gêmeos". a frequência de gêmeos na cidade é 10 vezes maior do que no resto do mundo. Por lá existe a Fnte da Fertilidade. Segundo a lenda, ao beber daquela água a mulher terá filhos gêmeos.

Localização

Cândido Godói está localizada no noroeste gaúcho, próximo à divisa com a Argentina. A cidade fica a 30 km de Santa Rosa, e a 520 km de Porto Alegre. A Fonte da Fertilidade, por sua vez, está na Linha São Pedro, a 11 km do centro de Cândido Godói.


Como chegar

A maneira mais prática para se deslocar até Cândido Godói é de carro. Bem próximo a ela passa a BR-392, com bom asfalto. Caso não possa ou não queira ir de carro próprio, recomendamos alugar um veículo. Pesquise os preços na RentCars.com, maior comparadora de preços de aluguel de veículos da América Latina e garanta sua economia.

Para ir de ônibus, partindo de Porto Alegre há apenas uma linha direta. O ônibus parte de domingo a sexta-feira às 21h30min, e a viagem dura cerca de 7 horas e meia, pela boa empresa Ouro e Prata (cerca de R$160,00). Outra opção é ir até Santa Rosa (cerca de 7 horas de viagem - R$170,00), e de lá partir para Cândido Godói (uma hora de viagem, R$8,00 e diversos horários).

Cândido Godói, no noroeste gaúcho, tem a fama de "Terra do Gêmeos". a frequência de gêmeos na cidade é 10 vezes maior do que no resto do mundo. Por lá existe a Fnte da Fertilidade. Segundo a lenda, ao beber daquela água a mulher terá filhos gêmeos.

Cândido Godói, a Terra dos Gêmeos

Cândido Godói não é uma cidade marcada por atrações turísticas. Na verdade fica longe de quase tudo, e não vale muito a pena ir até lá. Nós, que saímos de Santo Ângelo, sofremos ainda mais. Encaramos cerca de 20 km da uma péssima estrada de terra pelo interior da cidade (não recomendamos este trajeto. O ideal é ir passando por Campinas das Missões e curtir o asfalto). Mas como íamos em busca da Fonte da Fertilidade, pensando em nosso futuros pimpolhos, com calma, chegamos até o centro de Cândido Godói. Andamos um pouco pela região da praça e, depois de sabermos que a Fonte ficava em uma vila do interior da cidade, a 11 km dali, e que o trajeto era de estrada de terra, resolvemos procurar um táxi para nos levar até lá.
Cândido Godói, no noroeste gaúcho, tem a fama de "Terra do Gêmeos". a frequência de gêmeos na cidade é 10 vezes maior do que no resto do mundo. Por lá existe a Fnte da Fertilidade. Segundo a lenda, ao beber daquela água a mulher terá filhos gêmeos.

Depois de uns 25 minutos, chegamos à Linha São Pedro, que é a localidade onde há maior número de gêmeos em Cândido Godói. A comunidade é um pequeno vilarejo, formado por poucas casas de produtores rurais, uma igreja, um salão paroquial, um barzinho, um restaurante e a Fonte da Fertilidade. Tudo isso agrupado em cerca de 200 metros.
Cândido Godói, no noroeste gaúcho, tem a fama de "Terra do Gêmeos". a frequência de gêmeos na cidade é 10 vezes maior do que no resto do mundo. Por lá existe a Fnte da Fertilidade. Segundo a lenda, ao beber daquela água a mulher terá filhos gêmeos.

Quando chegamos lá, confesso que ficamos bastante decepcionados. O local estava um pouco abandonado, com mato descuidado em frente a fonte.... que nem água estava jorrando! Que decepção! Fomos até lá para pegar um pouco de água, mas ela não estava lá! Como assim?! Um morador local nos explicou que o registro que libera a água para a fonte estava desligada, mas que poderíamos pegar água no poço que tinha ali do lado... Por sorte, depois de alguns minutos ele conseguiu ligar a fonte e amenizar nossa desilusão.
Cândido Godói, no noroeste gaúcho, tem a fama de "Terra do Gêmeos". a frequência de gêmeos na cidade é 10 vezes maior do que no resto do mundo. Por lá existe a Fnte da Fertilidade. Segundo a lenda, ao beber daquela água a mulher terá filhos gêmeos.
A Fonte da Fertilidade foi erguida na Linha São Pedro por moradores que acreditam numa antiga lenda local. A lenda diz que há muitos anos um lavrador que morava naquelas terras queria muito ter descendentes. Em uma tarde, após seu trabalho diário, ele parou próximo a vertente das águas para orar e pedir a graça dos filhos. Orou com tanta força e fé que, ao exprimir sua fé através de lágrimas, que misturaram-se ao riozinho, fez com que as divindades passassem o poder de quem se banhar naquelas águas tenham a chance de ter filhos gêmeos, como ocorreu com o lavrador.
Cândido Godói, no noroeste gaúcho, tem a fama de "Terra do Gêmeos". a frequência de gêmeos na cidade é 10 vezes maior do que no resto do mundo. Por lá existe a Fnte da Fertilidade. Segundo a lenda, ao beber daquela água a mulher terá filhos gêmeos.
A fonte representa uma mãe com seus dois filhos no colo. E esse é o desejo dos que procuram essas águas: ter a graça de ter filhos gêmeos. Fato que e tão frequente na Linha São Pedro, que anualmente, em abril, nesta comunidade ocorre a Festa do Gêmeos, reunindo mais de uma centena de pares de irmãos, para celebrar a união.

Serviço

Fonte da Fertilidade
Linha São Pedro, zona rural de Cândido Godói-RS
Distância do centro da cidade: 11 km
Valor do táxi (ida e volta): R$40,00
Mais informações: site da Prefeitura

sábado, 4 de março de 2017

Zoológico de Curitiba

Durante nossas férias de verão, que passamos em Navegantes-SC, aproveitamos para utilizar nossa premiação do evento Vem pra Sampa, meu!. No encontro paulista, fomos sorteados com duas diárias de aluguel de veículos, num oferecimento da RentCars.com, a maior comparadora de preços em aluguel de carros da América Latina. Fomos presenteados com duas diárias de um Logan completíssimo, com ar condicionado, direção hidráulica e até central multimídia! Um luxo só! Para curtir bem esse presente, embarcamos com a família da Lis e fomos até Curitiba, onde moram nossos afilhados, para fazer um passeio diferente: visitar o Jardim Zoológico da capital paranaense.
Jardim Zoológico de Curitiba, Paraná. Um  zoo simples, mas muito bem organizado. Apresenta diversos mamíferos, como leões, girafas, tigres, onças, macacos. Tem setores específicos com grande quantidade de aves. Os cenários são muito bem explorados.

Localização

Rua João Miqueletto, s/nº, Alto Boqueirão
Está inserido na área do Parque Municipal do Iguaçu, na zona sul da cidade de Curitiba.


Como chegar

A maneira mais prática e rápida para chegar ao Zoológico Municipal de Curitiba é de carro. Uma ótima opção é alugar um carro, retirando-o logo na chegada a Curitiba. Para encontrar o melhor preço, recomendamos a RentCars.com. Se preferir ir de transporte público, você deve pegar um ônibus que te leve ao terminal Boqueirão, e de lá tomar a linha Zoológico, descendo na última parada.

Fomo de carro, com auxílio do GPS. O caminho, saindo do centro, foi super correto, e chegamos até lá sem nenhum percalço ou susto. Parte do caminho sedá em uma parte meio rural de Curitiba, onde há alguns sítios que oferecem passeios a cavalo. Uma boa opção para quem tiver interesse!
Jardim Zoológico de Curitiba, Paraná. Um  zoo simples, mas muito bem organizado. Apresenta diversos mamíferos, como leões, girafas, tigres, onças, macacos. Tem setores específicos com grande quantidade de aves. Os cenários são muito bem explorados.
O Zoológico de Curitiba

O Zoológico de Curitiba ocupa uma área de cerca de 600 mil metros quadrados (segundo a Prefeitura de Curitiba). Mesmo estando entre os mais conceituados zoológicos do Brasil, apresenta uma estrutura simples, sem muitos pontos que surpreendam. As instalações são bem limpas, com passeio asfaltado e os animais ficam em lugares bem seguros ao público. O zoo de Curitiba recebe em torno de 650 mil visitantes anualmente. Número que me impressionou, até porque não é uma das atrações mais exploradas da cidade. Durante nosso passeio havia várias famílias com crianças pequenas, que se encantavam com os animais.
Jardim Zoológico de Curitiba, Paraná. Um  zoo simples, mas muito bem organizado. Apresenta diversos mamíferos, como leões, girafas, tigres, onças, macacos. Tem setores específicos com grande quantidade de aves. Os cenários são muito bem explorados.
A visita ao local, sendo bem aproveitada, tem duração de cerca de duas horas. Como o caminho é feito todo andando, é importante levar água e um lanchinho. Na entrada do zoo há alguns bares e restaurantes que vendem salgados, sanduíches, bebidas e sorvetes (mas o preço é bem alto!). No interior do parque há quiosque com mesas e bancos para se fazer piquenique em segurança e sem incomodar ou ser incomodados pelos animais.

O Zoológico de Curitiba é muito arborizado e além dos animais em exposição nas gaiolas ou jaulas, tem grande quantidade de aves que vivem livres. Isso ocorre em decorrência de sua localização se dar às margens do Parque do Iguaçu. Várias aves aparecem pelo zoo para curtir a alimentação e os belos lagos e áreas arborizadas dali.
Jardim Zoológico de Curitiba, Paraná. Um  zoo simples, mas muito bem organizado. Apresenta diversos mamíferos, como leões, girafas, tigres, onças, macacos. Tem setores específicos com grande quantidade de aves. Os cenários são muito bem explorados.
O zoo de Curitiba apresenta mais de dois mil animais em seu acervo. Além da exposição e preservação, o ambiente propicia local seguro para que se busque a reprodução de vários animais (alguns com risco de extinção), além de estudos sobre a vida destes bichos, visando contribuir para o bem estar daqueles que vivem em seu ambiente tradicional. Há parceria com várias universidades, visando a preservação do patrimônio ambiental do planeta.
Jardim Zoológico de Curitiba, Paraná. Um  zoo simples, mas muito bem organizado. Apresenta diversos mamíferos, como leões, girafas, tigres, onças, macacos. Tem setores específicos com grande quantidade de aves. Os cenários são muito bem explorados.
O zoo de Curitiba é uma excelente opção de passeio, principalmente com crianças. Um passeio em meio a natureza, fugindo dos roteiros tradicionais.

Serviço

Horário de funcionamento: de terça a sexta-feiras das 9h às 17h, sábados, domingos e feriados das 10h às 16h
Valor do ingresso: gratuito
Site da atração: aqui

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

Zoológico de Rotterdam

Um dos nossos passeios mais esperados pala Holanda se deu fora de Amsterdam. Pegamos um trem na Centraal Station e partimos para Rotterdam, com o objetivo de conhecer o zoológico de lá. Essa ideia nasceu após percebemos que nesse parque, além da exposição de diversos animais, há também um mega aquário, daqueles no qual somos abraçados pela água, pelos peixes. Um aquário por onde passamos em um túneis cobertos de água para observar os tubarões passando. Como nunca tínhamos ido a um desses, a visita se bastava. E não nos arrependemos de ir até lá!
Vista do túnel, no aquário do zoológico de Rotterdam

Localização

Rotterdam Zoo Diergaarde Blijdorp
Blijdorplaan 8, 3041, JG Rotterdam


Como chegar

Saindo da Centraal Station de Rotterdam, bastam cerca de 30 minutos de caminhada, por uma região residencial super agradável para chegar ao zoo. Se preferir, é possível ir de metrô (linha E) ou ônibus (linhas 40, 44 ou 49), em trajetos de pouco mais de 10 minutos, com paradas a poucos metros do portão de entrada do parque.

Elefante brincando no zoo de Rotterdam. novocaroneiro.com


O Jardim Zoológico

O Zoo de Rotterdam é um dos mais importantes da Europa. Recebe em torno de um milhão e meio de visitantes por ano, que podem ver suas 200 espécies de animais, além das plantas disponíveis em seu jardim botânico. Todo o ambiente é muito bem cuidado e pensado, fato que torna o passeio muito agradável, prazeroso. Os animais estão dispostos de acordo com o continente onde encontra-se seu habitat natural (ou seja, os animais africanos ficam concentrados, mais adiante estão os sul americanos...). Isso faz do passeio praticamente uma volta ao mundo animal!
Aves no zoo de Rotterdam - novocaroneiro.com

Como estávamos fazendo um bate-volta de Amsterdam, apenas para passar o dia em Rotterdam, e por não ter pego o trem tão cedo como esperávamos, acabando resumindo um pouco nosso passeio. No zoo, demos uma rápida passada pelas primeiras espécies (pássaros, macacos, tartarugas, lagartos) e logo em seguida fomos conhecer o Oceanium, mega aquário que reúne diversos animais marinhos, que nadavam pertinho da gente!
Oceanium, no Rotterdam Zoo - novocaroneiro.com

O Oceanium é uma estrutura muito grande, que divide os peixes maiores, como tubarões em um tanque muito grande, onde há um túnel para que possamos observar os peixes em 360 graus. É tudo muito lindo, ficamos impressionados! Muito legal ver os peixes nadando, os tubarões passando por cima de nossa cabeça, ou de sentar do ladinho de onde um deles descansa! Além disso, há uma série de tanques menores, onde há peixes ornamentais bem coloridos, águas vivas (e um contraste belíssimo pelas luzes do tanque), caranguejos e até uma lagosta azul!
Oceanium, Rotterdam Zoo - novocaroneir.ocom

Ainda no Oceanium, há uma exposição sobre peixes e outros animais marinhos com muitas informações sobre diferentes espécies. Por ali há, também, em uma praia particular, um grupo de pinguins (que eu acho muito engraçados!).

É um passeio realizado, em grande parte por famílias e as crianças adoram! Mesmo que nosso passeio pelo zoo de Rotterdam tenha sido resumido, recomendamos muito! E isso que não vimos os leões, nem os tigres, os pandas, os ursos polares... Nossa, quanta coisa deixamos de ver!!!
Pinguins no Rotterdam Zoo - novocaroneiro.com


Serviço

Horário de funcionamento: 9h às 18h
Valor do ingresso: 19,50 euros para adultos e 16,50 euros para crianças
Site oficial: https://www.diergaardeblijdorp.nl/en/