Paris, a Cidade Luz

Cidade que respira cultura e transpira os odores de sua mundialmente famosa gastronomia

Holanda: liberdade e tradição lado a lado

O encantador país que mantem suas tradições, mas também demonstra toda a modernidade do primeiro mundo

Gramado: um pedacinho da Europa no Rio Grande do Sul

O destino turístico mais procurado do RS atrai o público com suas infinitas belezas e atrações, não só no inverno

Sim, o Rio de Janeiro continua lindo

Uma cidade exuberante que, apesar dos problemas, nos encantou

Uruguai: tradição, tranquilidade e amabilidade

Nosso irmão menor mostra sua face tranquila, suas belezas naturais e cultos à tradição

quarta-feira, 27 de abril de 2016

Teleférico do Parque Unipraias, em Balneário Camboriú - SC

Balneário Camboriú é um dos paraísos turísticos do sul do Brasil. Um dos principais destinos de Santa Catarina, reúne pessoas de todo o Brasil, com destaque para os gaúchos, além de receber muitos turistas portenhos - vindos do Uruguai, Paraguai e principalmente da Argentina. Os visitantes de Balneário Camboriú buscam uma cidade litorânea com muitas opções de gastronomia, divertimento, com comércio muito desenvolvido e que apresenta incríveis opções de hospedagem. Uma cidade turística completa.

Um dos grandes atrativos da cidade é o Parque Unipraias e seu teleférico. Localizado no Pontal Sul, o Parque Unipraias é um complexo de entretenimento encravado em um morro coberto pela esplendorosa Mata Atlântica. O Parque, que possui como atrações a tirolesa, o carrinho sobre trilhos, um mundo encantado na floresta, trilhas ecológicas, mirantes, passeios de barco, destaca-se na paisagem pelo seu teleférico. Os bondinhos do Parque Unipraias partem da Estação Barra Sul, passam pelo topo do morro, na Estação Mata Atlântica, e terminam seu trajeto na Estação Laranjeiras, uma praia pequena, mas muito bonita e estruturada.

A Estação Barra Sul está localizada bem na pontinha da praia mais central. Para quem entra na cidade pela BR-101, basta atravessar toda a Avenida Brasil e chegará até ela. Outra opção para chegar lá é de Bondindinho, o transporte coletivo da orla de Balneário Camboriú, que tem ponto bem em frente ao Parque. Nesta estação, que possui estacionamento para visitantes (R$1,00 a cada dez minutos),está o ponto inicial no trajeto do teleférico do parte. Aqui, ainda, podem ser comprados os tíquetes para o bondinho (R$39,00 o normal / R$19,00 para maiores de 60 anos e crianças entre 6 e 12 anos), além de combos que unem as diversas atrações do parque (veja outras opções de ingressos, que podem ser comprados online aqui). Ainda nesta estação há banheiros e lojinhas de souvenirs e lanchonete.

O teleférico possui 47 bondinhos, cada um com capacidade para até 6 passageiros. Com lotação máxima o bondinho fica um pouco desconfortável, além de bem quente! O ideal é ir em no máximo quatro pessoas, que ficam bem confortáveis para apreciar a vista e tirar suas fotos. O trajeto total tem 3.250 metros, entre a Estação Barra Sul e a Laranjeiras.

O início da subida nos brinda com uma visa incrível da cidade. Conforme o bondinho vai subindo, a paisagem se apresenta mais bonita. A imensidão dos prédios que se erguem bem em frente ao mar é impressionante. E Balneário Camboriú tem muitos espigões - prédios bem altos e "magros" que se destacam na paisagem. Enquanto o teleférico segue seu trajeto sobre a mata, tira-se muitas fotos que fazem o tempo passar rápido.

Ao chegar na Estação Mata Atlântica, recomenda-se a descida, visando aproveitar as atrações que estão ali. Daqui partem o Youhooo! (carrinho sobre trilhos que desce o morro no meio da mata), e o Zip Rider, espécie de tirolesa que vai até a Praia de Laranjeiras. Além das atrações radicais, aqui também encontramos a Fantastic Forest, onde a magia toma conta da floresta em cenários lúdicos. Também no topo do morro há algumas trilhas (bem estruturadas) e ótimos mirantes voltados para o oceano e para a cidade.

Continuando o passeio, pega-se o teleférico que vai descer o morro, até a Praia de Laranjeiras. Esta praia é bem pequena, mas muito bonita. Tem areia clarinha, restaurantes, lojas de artigos de praia, bares, bancas de artesanato, sorveterias. Lugar de gente bonita e de famílias. A paisagem também é muito bonita, já que a praia fica localizada entre dois morros, e há pedras dentro da água... efeitos da natureza que emolduram a prainha.

Com o mesmo ingresso do teleférico, pode-se voltar até a Estação Barra Sul. Como muitas pessoas utilizam este meio de transporte para ir até Laranjeiras,no final da tarde a fila para o bondinho pode ser gigante (como a que enfrentamos). Ficamos cerca de uma hora aguardando nossa vez. O início da fila era na parte externa da estação, ainda. Depois, já dentro da estação, que conta com bar e sanitários, continuamos nossa saga. Ao final do percurso, perto da área de embarque, há vários painéis que contam a história da construção, estatísticas de visitas e outras informações. No retorno, acabamos pegando o bondinho de noite (em decorrência da grande fila) e tivemos lindas vistas novamente!

Esse é um passeio que você não pode deixar de aproveitar ao passar por BC!

Serviço

Parque Unipraias
Endereço: Avenida Atlântica, 6006, Barra Sul, Balneário Camboriú
Horário: das 9h30min às 18h (fora do verão, para mais detalhes consulte o site)
Site oficial: http://www.unipraias.com.br/home
Valor dos ingressos: de R$19,00 a R$118,00, de acordo com as atrações e idade
Estacionamento: sim, valor de R$1,00 a cada 10 minutos
Loja online: sim

quarta-feira, 20 de abril de 2016

A pequena e bela Itá, SC

A cidade de Itá, no oeste catarinense, reúne muitas das principais qualidades possíveis em uma cidade do interior. Ela é muito limpa, tranquila, agradável e muito bonita. Além disso, tem uma história pelo menos diferente: a cidade original foi inundada para a construção de uma usina hidrelétrica e o atual município foi reconstruído ao lado da antiga cidade. Para completar, Itá possui algumas atrações turísticas e até um resort!
Itá, SC, por novocaroneiro.com

Como acabei de citar, a antiga Itá foi completamente inundada para que fosse originado o lago da Usina Hidrelétrica de Itá (que na verdade fica em Aratiba-RS, mas isso é só detalhe). Da cidade antiga, apenas um ponto permanece visível: as torres da antiga igreja. E este é um dos pontos mais conhecidos da cidade. Fica localizada próxima a uma área verde, e é frequentada por famílias que reúnem-se em almoços ou piqueniques. Durante a noite as torres são iluminadas, propiciando um lindo espetáculo.
Itá, SC, por novocaroneiro.com

Também no lago da Usina, muitas pessoas reúnem-se para a prática de esportes, como jet-ski, canoagem e passeios de lancha. Em alguns outros pontos há pescadores tentanto a sorte ou, pelo menos, ganhando novas histórias para contar. Também aproveitando o lago da Usina, foi montada uma área de praia, com uma faixa de areia, banheiros, bares e, durante o verão, estruturado com salva-vidas e banana-boat. A prainha atrai pessoas de toda a região, por sua beleza e estrutura (lembrando que a cidade fica a cerca de 500km de Florianópolis, e bem longe do litoral).

Há alguns quilômetros dali, há mirantes para observar-se a Usina. Com sorte, após alguns dias de chuva, é possível ver o lindo espetáculo produzido com a saída da água excedente através das compotas. Mesmo sendo bem menor que a gigantesca Itaipu, a nuvem de gotículas que se forma é muito bonita. alem disso, nestes mirantes tem-se a real dimensão da obra.

O centro da idade também é um encanto. A cidade é muito bem cuidada e calma; Muito segura e em algumas vezes que passamos por lá, havia decorações que a deixavam um charme. Havia bancos decorados com tecido, pequenas gaiolas decoradas com flores... até parecia cenários de casamento! Na praça central há, também, o símbolo da cidade. Um monumento formado por duas estacas de madeira que seguram uma pedra, simbolizando o início das obras da nova cidade. Monumento bem diferente! Réplicas podem ser adquiridas em uma lojinha ali perto.

Próximo ao centro há um pouco de aventura em Itá! Uma tirolesa que parte do ponto alto da cidade até a parte baixa, próximo a área das piscinas. Uma descida alucinante liga as duas partes da cidade. A tirolesa possui equipe treinada e equipamentos muito seguros. Até minha mãe de quase 70 anos se animou a descer, e curtiu muito a linda vista lá de cima! A subida de retorno é feito em vans da empresa que faz o passeio.

Falei de piscinas ali em cima. E esse é o grande atrativo da cidade da cidade. Itá conta com parques aquáticos compostos de piscinas, bares, tobogãs e belos cenários, onde famílias de toda a região vão desfrutar dos dias quentes de verão. Além dos balneários públicos, há bela visão das piscinas do Itá Thermas Resort e Spa ao passar pela rodovia. Este resort, que parece um oásis na região, é um dos melhores hotéis do interior catarinense e conta com muitas atrações e opções de hospitalidade. Geralmente no início da temporada e datas especiais (como Natal), promove shows e espetáculos pirotécnicos.
Foto: Divulgação. www.itathermas.com

Além de todas as atrações citadas, na cidade de Itá é possível realizar trilhas, conhecer a história da cidade através da arquitetura local, passear pelo museu do rádio ou pelas propriedades do interior. Muitas atrações nesta pacata cidade do oeste de Santa Catarina.

Serviço

Localização: Itá localiza-se no oeste catarinense, na divisa com o Rio Grande do Sul. Cidades maiores em seu entorno são Concórdia e Chapecó
População: cerca de 6.500 habitantes
Como chegar: utilizando-se a BR-283 e SC-154, tanto de Chapecó (aeroporto), como de Concórdia
Site oficial do setor de turismo: http://www.turismoita.com.br/

Confira o álbum de fotos de Itá:

sábado, 9 de abril de 2016

Dificuldades em viagem à Europa (idioma, o principal)

No início de 2015 realizamos um grande sonho: viajar para a Europa. Antes disso apenas havíamos saído do Brasil em regiões fronteiriças, como a Tríplice Fronteira (Foz do Iguaçu, Puerto Iguazu e Ciudad del Este) e Fronteira da Paz (Santana do Livramento e Rivera). Nos tempos de solteiro eu havia visitado também a cidade de Melo, no Uruguai (a 70km da fronteira). Mas dessa vez era tudo muito diferente. Atravessaríamos um oceano, indo para países com idiomas desconhecidos por nós: França e Holanda. As dificuldades desta primeira viagem à Europa foram grandes. Apesar disso conseguimos superá-las, e te mostramos quais foram e como as superamos abaixo.

Toda grande viagem começa, é claro, pelo planejamento. E aqui já veio uma barreira: qual país visitar em nossa primeira ida para o Velho Mundo? Com tantos destinos incríveis - Roma, Barcelona, Berlim, Londres, Moscou... é difícil escolher. Depois de muitas pesquisas e conversas, decidimos que iríamos para a França (Paris) e Holanda (Amsterdã e Rotterdã). Definidos os destinos, passamos a buscar as caríssimas passagens aéreas ate lá. Foram muitos dias e noites fazendo pesquisas nos mais diversos sites de agências e empresas aéreas, até que chegamos a um preço convidativo e que abrangia nossas escolhas. Fizemos a compra com múltiplos destinos diretamente no site da empresa aérea Iberia, e voaríamos pela British Airways. Efetuamos a compra das passagens mesmo antes de concluirmos a renovação de meu passaporte e a emissão do passaporte da Lis. Arriscamos e, felizmente, não houve percalços neste item. Todos os prazos foram cumpridos e algumas semanas antes do embarque estávamos com os documentos em mãos.
Monitor em ônibus de Amsterdã, por novocaroneiro.com

Com as datas definidas para a viagem, passamos a buscar hotéis nos destinos. Para isso utilizamos as ferramentas que sempre utilizamos: Booking.com e Tripdvisor. As reservas foram bem tranquilas, mas as confirmações um pouca mais difíceis, já que era necessária a comunicação nos idiomas estrangeiros. Foram vários e-mails com um inglês a la Joel Santana, mas conseguimos nos entender.
Painel Aeroporto de Londres, por novocaroneiro.com

Roteiros definidos, malas feitas, documentação em mãos, foi hora de partir para a realização deste sonho. Partimos de São Paulo para Amsterdã, com uma conexão em Londres. E foi nesta primeira parada que tivemos uma grande dificuldade com o idioma. Não entendíamos quase nada! E o aeroporto é gigante! E tínhamos pressa para chegar ao outro portão de embarque! Um pouco assustados com toda a situação, tentei pedir informações em inglês para um atendente do aeroporto, e qual não foi nossa surpresa quando ele começou a falar em português, dizendo que era brasileiro e contando sua história?! Nos sentimos a salvo! E mais uma vez deu tudo certo. Ele nos conduziu até nosso portão de embarque, já acompanhados de outro casal de brasileiros que iria no mesmo voo.
McDonald´s, por novocaroneiro.com

Seguimos para Amsterdã, onde tivemos alguns transtornos com o idioma. Oficialmente a língua lá é o holandês (que parece alemão misturado com inglês), mas percebemos que grande parte das pessoas fala o idioma britânico. Mesmo assim a comunicação foi bem difícil e, por isso, acabamos indo muito ao McDonald's, que é meio universal. Na Holanda, acabamos pegando o trem errado pelo menos uma vez, não conseguimos comprar o tíquete para outro trem na máquina de autoatendimento e deixamos de aproveitar algumas coisas por não saber como dizer. Mesmo assim foi uma experiência maravilhosa!
Placa em Amsterdã, por novocaroneiro.com

Um pouco mais acostumados com os aeroportos europeus, chegamos tranquilos em Paris. Ao sair da estação de metrô, no entanto, passamos um perrengue. Nosso hotel ficava a uns 200 metros da estação, mas nos perdemos e andamos muuuito com todas as malas. Tentamos pedir informações, mas as pessoas não nos entendiam bem e davam informações desencontradas. Até que uma boa alma nos indicou o lugar correto (após ler o endereço do hotel em um papel que tínhamos). Na França, apesar das dificuldades para a comunicação, combinamos que aproveitaríamos ao máximo, sem vergonha e sem medo de passarmos por ridículos. E foi nossa decisão mais acertada. passamos a levar as dificuldades como aprendizados. Passamos a rir das situações e foi bem mais divertido. Por exemplo, em uma noite que queríamos ir a um restaurante típico francês, fomos até ele, tiramos fotos do cardápio e voltamos ao hotel para tentar traduzir no Google! Acabamos voltando e sendo atendidos por uma funcionária portuguesa que nos explicou tudo do cardápio!
Cardápio francês, por novocaroneiro.com

Percebemos que é possível ir até um destino sem conhecer o idioma. isso traz várias barreiras, mas que podem muito bem ser superadas! Mesmo gerando um certo estresse quando acontecem, passam a ser lembranças engraçadas e experiências recompensadoras.