sábado, 23 de maio de 2015

MEGAPOST EUROPA X - Tchau, Amsterdã. Oi, Paris!

Depois dos dias incríveis em Amsterdã, Rotterdã e Zaanse Schans, chegou a hora da partida. Já fizemos nosso check-out no hotel com saudades deste lugar maravilhoso. Pegamos nossas malas e fomos pegar o bonde pela última vez, depois o trem até o aeroporto. Embarcamos, mais uma vez, para um voo com a British Airways, em direção a Paris. De novo fizemos a conexão em Londres (e o voo atrasou mais uma vez) e logo estávamos indo para a Cidade Luz. Nossa ansiedade era grande, já que estávamos indo para a cidade tão citada como destino de todas as pessoas mais chiques e elegantes. Indo para a cidade do mais famoso ponto turístico do mundo: a Torre Eiffel!


Chegamos na capital francesa sem falar nada em francês. Aliás, sabíamos o "bonjour" e o "merci", que se mostraram bem importantes, já que com estas simples palavrinhas os franceses ficavam bem mais simpáticos ao falar em inglês. Logo em nossa chegada já percebemos que nossa estadia em Paris seria bem diferente da que tivemos em Amsterdã. Paris é uma metrópole. Gigante mesmo! Muita gente, muitos carros, trânsito pesado, muito maior que a capital holandesa.

Nosso hotel (Villa Montparnasse) não ficava situado no centro. Buscamos algo que aliasse um preço bom, com facilidade nos deslocamentos. Assim optamos por este hotel, no 14º arrondissement, por estar bem próximo a uma grande estação de trens (a Denfert-Rochereau, que nos levaria facilmente aos principais pontos turísticos e de onde sai o ônibus até o aeroporto de Orly, de onde partiríamos de volta ao Brasil, uma semana depois).

Já havíamos lido de antemão que o aeroporto Charles de Gaulle fica longe do hotel que escolhemos. Optamos, então, ir de metrô do aeroporto até a estação Denfert-Rochereau e de lá, a pé para o hotel. Chegamos até a estação de destino sem grande problema, porém ao irmos para a rua, buscando o hotel (a 300m de lá), acabamos dando uma volta gigante e não o encontramos. Pedimos informações a algumas pessoas que ou não nos entendiam, ou nos mandavam em direção a outra estação de metrô (achando que queríamos ir até lá). Depois de um tempo perdidos, andando com as malas por Paris, conseguimos a informação que queríamos e chegamos, finalmente, ao hotel.

Fizemos nosso check-in, deixamos as malas e corremos novamente à estação de trens. Iríamos matar a vontade de conhecer a Torre Eiffel. Com o mapa de Paris na mão, e com o roteiro com as estações de metrô em nosso resumo de viagem, fomos até lá, de maneira bem rápida. Não compramos tíquetes de metrô com validade de dias, optamos por comprar sempre os bilhetes unitários, até por não saber se valeria a pena ou não. O metrô tem muitas linhas, cobrem praticamente toda a cidade. Diz-se, inclusive, que em Paris se está sempre a no máximo 300 metros de uma estação de metrô, tamanha a sua abrangência. Além da quantidade de linhas, há muitos trens também. A cada dois ou três minutos passa um. Dessa forma, mesmo quando não se consegue um banco para viajar sentado, é bem cômodo, sem algomeração de gente.

Em poucos minutos chegamos a estação de destino e nos dirigimos à Torre Eiffel. Tudo bem sinalizado, sem grande chance de erro. Chegamos lá no início da noite, e a Torre, gigante e linda, estava iluminada nos esperando. A sensação de estar num lugar destes é incrível, mesmo esperando um paisagismo mais bonito a sua volta. Foi demais ver a torre piscando por alguns minutos, em horas cheias (19h, 20h...). Tiramos milhares de fotos, andamos pelo Campo de Marte, num frio de lascar, procurando os melhores ângulos. Noite que ficará na história de nossa vida. (Logo teremos mais post sobre a Torre Eiffel).

Como era apenas nossa chegada, voltamos ao hotel. Indo para a estação, aproveitarmos para jantar uma iguaria francesa, ali pertinho da Torre. Em uma barraca de rua, um senhor cozinhava uma panela gigantesca de cebola, que era colocada numa baguete, com uma linguiça. Eu, que nem gostava de cebola até então aprovei o prato! Fica a dica.

Este foi só o começo. Rodamos boa parte dos principais pontos parisienses, subimos milhares de degraus, jantamos comida típica, andamos de montanha russa no escuro, tivemos overdose cultural... muita exeriência diferente. E você poderá ver tudo aqui!

Mais sobre esta viagem à Europa:
MEGAPOST EUROPA I - O início
MEGAPOST EUROPA II - O trajeto de ida
MEGAPOST EUROPA III - Amsterdã, chegada e primeiras impressões
MEGAPOST EUROPA IV - Amsterdã: fatos simples do cotidiano
MEGAPOST EUROPA V - Amsterdã - Van Gogh Museum
MEGAPOST EUROPA VI - Amsterdã - Casa de Anne Frank
MEGAPOST EUROPA VII - Amsterdã - Diversão para a galera
MEGAPOST EUROPA VIII - Zaanse Schans, Holanda
MEGAPOST EUROPA IX - Rotterdã, Holanda

Confira os álbuns de nossa à Europa (Amsterdam, Rotterdam, Zaanse Schans, Paris):


Comente com o Facebook:

0 comentários:

Postar um comentário