Paris, a Cidade Luz

Cidade que respira cultura e transpira os odores de sua mundialmente famosa gastronomia

Holanda: liberdade e tradição lado a lado

O encantador país que mantem suas tradições, mas também demonstra toda a modernidade do primeiro mundo

Gramado: um pedacinho da Europa no Rio Grande do Sul

O destino turístico mais procurado do RS atrai o público com suas infinitas belezas e atrações, não só no inverno

Sim, o Rio de Janeiro continua lindo

Uma cidade exuberante que, apesar dos problemas, nos encantou

Uruguai: tradição, tranquilidade e amabilidade

Nosso irmão menor mostra sua face tranquila, suas belezas naturais e cultos à tradição

terça-feira, 19 de julho de 2016

Eco Parque Cia Aventura, Nova Roma do Sul, RS

Em minha primeira passagem profissional por Caxias do Sul, a empresa onde trabalhava resolveu fazer uma festa de final de ano diferente. Trocou-se o jantar seguido de amigo secreto por uma viagem, repleta de diversão e aventura. Um dia inteiro no Eco Parque Cia Aventura. O parque, localizado em um município de cerca de quatro mil habitantes, na serra gaúcha, chamado de Nova Roma do Sul, encanta por suas belezas naturais, infra-estrutura e cordialidade no atendimento.

O Eco Parque teve seu início no ano de 2002, quando passou a oferecer passeios com rafting pelo Rio das Antas.A partir do ano 2008, já muito mais estruturado, passou a oferecer um passeio completo, unindo diversas atrações em seu complexo. A cada passar de ano evolui as experiências de seus visitantes, graças a sua especialização e acompanhamento de equipe qualificada vinda de diversos países.

O Cia Aventura, além de uma grande beleza natural, que engloba bosques, cachoeiras, riachos, desfiladeiros, possui em sua área algumas intervenções humanas. Os muros de pedra dão um charme para a propriedade. Além deste lado natural, o Eco Parque possui uma estrutura bem completa, com restaurante, vestiários, área de camping e pousada, propiciando momentos que unem experiências novas e conforto.

Mas claramente o que mais atrai tristas são os esportes de aventura oferecidos por lá. No complexo do parque pode-se desfrutar de diversos níveis de adrenalina. O passeio pode começar com um rafting pelo Rio das Antas, seguido por um complexo de obstáculos nas trilhas do arvorismo. Para animar um pouco é possível passar pela tirolesa a 80 metros de altura, ou então fazer um rapel a 65 metros do solo. Para quem for ainda mais ousado, há um pêndulo, onde o visitante fica "voando" a beira de um precipício de 100 metros de altura, ou saltar no bungee jump, iniciando a queda a 65 metros do solo...

Se a aventura forte não for exatamente a sua praia, o Eco Parque Cia Aventura, em Nova Roma do Sul, oferece algumas atrações mais relaxantes, como passeios de cavalo, floating, quadriciclo e o kart-cross. E para haver um clima sadio de competição, nada melhor do que encerrar o dia em uma bela disputa de paint ball, em um circuito cheio de esconderijos e com equipamentos que garantem a segurança dos jogadores. Além disso tudo, no Eco Parque há a mostra de alguns animais silvestres já domesticados, como tucanos, araras, caranguejeiras e obras. As cobras e aves podem ser tocadas e seguradas!

Vale muito a pena desviar um pouco o roteiro tradicional da uva e vinho e passar um dia por aqui.

Serviço
Eco Parque Cia Aventura
Linha Paranaguá, 630, Zona Rural, Nova Roma do Sul, RS
(54) 3822 2994
http://www.ciaaventura.com.br/

terça-feira, 12 de julho de 2016

Avaliação: British Airways

Nosso primeiro voo transatlântico ocorreu no início de 2015, quando partimos de São Paulo para Amsterdã, com uma pequena parada em Londres, para troca de aeronave. Após uma longa procura pelos preços mais baratos nas passagens, compramos todos os trechos que precisávamos (São Paulo x Amsterdã x Paris x São Paulo) no site da empresa aérea Iberia. Já no momento da compra ficamos sabendo que quem operaria nossos vôos (com exceção do último trecho) seria a British Airways, e é de quem falaremos agora em nossa avaliação.
Avaliação da British Airways, por novocaroneiro.com

Já citei que procuramos muito pelos preços mais baixos, e isso nos levou diretamente à classe econômica. E seriam várias horas sentadinhos esperando o tempo passar, os quilômetros ficarem para trás para a nossa tão esperada chegada ao Velho Continente. Torcemos bastante para que o avião fosse bom, confortável, com opções de entretenimento e sem pessoas do lado de nosso banco. Bom, em partes nossas expectativas foram supridas.
Avaliação da British Airways, por novocaroneiro.com

Ao entrar no avião, me deparei com muitas poltronas (algo que eu não esperava). Três poltronas nas laterais e mais quatro no centro. Tudo bem, escolhemos janelas, então iríamos na lateral. Apesar da torcida de não haver ninguém de nosso lado, havia, mas não chegou a incomodar. A aeronave, mesmo não parecendo ser das mais novas da empresa, era confortável (como uma classe econômica consegue ser), com boas poltronas (com um bom sistema de apoio pra cabeça), espaço para as pernas suficiente para não serem esmagadas. Felizmente havia central multimídia, com ótimas opções de filmes, dentre eles um ótimo com Brad Pitt, chamado Fury (saiba mais). Além dos filmes (alguns dublados e vários legendados em português), dava pra ir acompanhando a viagem através de um mapa na telinha, bem interessante.
Avaliação da British Airways, por novocaroneiro.com

Durante o percurso, que ocorreu do início da noite ao amanhecer, foram servidas refeições boas, sempre com duas opções de cardápio, além de vinho e sucos. Durante o voo as comissárias ficavam, ainda, servindo café e chá. Pouco antes da chegada em Londres foi servido o café da manhã. Todas as refeições eram compostas por produtos ingleses, desde a água mineral ate o horroroso suco de tomate!
Avaliação da British Airways, por novocaroneiro.com

Nos vôos internos na Europa, a British Airways utiliza-se de aviões semelhantes aos encontrados no Brasil, com tamanho menor, mas com conforto e ótimo atendimento (prioritariamente em inglês, mas sempre com algum comissário que fale espanhol ou português durante nossos trechos).
Avaliação da British Airways, por novocaroneiro.com

Gostamos da experiência de ser clientes British Airways e recomendamos a empresa para suas viagens. Com sede em Londres, normalmente a companhia faz conexões no aeroporto de Heathrow.

Site da empresa: http://www.britishairways.com/

segunda-feira, 30 de maio de 2016

Deu ruim! Blogagem coletiva de perrengues de viagens

Esta é uma blogagem coletiva, momento em que diversos blogueiros amigos discorrem sobre o mesmo tema. Dessa vez é a hora dos Pequenos Grandes Viajantes contarem seus perrengues ocorridos durante as viagens. Tem cada caso... Abaixo contamos algumas das situações - que na hora pareceram trágicas, mas que hoje já são cômicas - pelas quais passamos. No final de nossas histórias há uma série de outros blogs com seus causos ruins. Prestigie!

1. Na contramão em Montevidéu
Chegar em um país estrangeiro, mesmo que próximo, nos obriga a entender uma série de convenções diferentes das quais estamos acostumados. E dirigir fora do país é, também, um desafio. Em nosso primeiro dia na capital uruguaia, ainda estava me acostumando com as sinaleiras (semáforos) que ficam em pequenos postes bem na quina da esquina. Como quase todas as ruas centrais são de mão única, fui contando: "se a próxima vai pra direita, a segunda irá para a esquerda...". Mas nesse caso haviam duas ruas seguidas para o mesmo destino, não vi a sinaleira e acabei pegando a contramão bem no centro da capital do Uruguai!! Felizmente era domingo e o trânsito estava bem tranquilo... e também nenhum policial viu a barbeiragem!
A sinaleira é tão baixinha, que um ônibus a encobre!

2. Uma hora de caminhada com malas para encontrar o hotel a 200m da estação
Em nossa viagem a Paris escolhemos o hotel a dedo, por estar bem próximo a uma grande estação de trens, a Denfert-Rocherau. Nosso hotel ficava a cerca de 200 metros da estação. Obviamente fomos até lá de trem, e depois seguiríamos a pé, mesmo com duas malas grandes, já que era tão perto. Mas que nada! Andamos em círculos procurando o hotel e não encontrávamos de jeito nenhum. Para piorar, o hotel tinha o nome de uma outra estação de trens da região: Villa Montparnasse. Ao pedirmos informações, provavelmente as pessoas só entendiam o Montparnasse e nos guiavam até a estação homônima... Depois de um bom tempo duas policiais nos entenderam e disseram que estávamos a cerca de duas quadras do hotel. Mesmo no inverno europeu, suamos com aquelas malas neste dia!
Estávamos mais ou menos assim... mas essa foto foi em Rotterdan

3. Motor do carro fundido no topo do morro
Esta aconteceu na cidade de Itajaí, em Santa Catarina. Minha namorada na época (e atual esposa) morava em Navegantes, cidade vizinha a Itajaí. Viajei para lá com minha mãe e um amigo (Roberto), e a Lis deu a sugestão de subirmos o Morro da Cruz, de onde teríamos uma linda vista da região. Pegamos nosso Fiestinha véio de guerra e subimos o morro, em primeira marcha... foi de mais para ele, que por lá mesmo ficou! Tivemos de chamar um guincho e descer embarcados no Fiesta, em cima do guincho. Mico total!
Pelo menos a vista valeu a pena.

4. Maconha forte em Amsterdã
Estando em um lugar diferente, aproveite as oportunidades e se integre à cultura local. Um dos lemas que os viajantes devem seguir, na minha opinião, para o passeio tornar-se mais rico. Em Amsterdã, resolvemos provar a marijuana, para estar bem no clima festivo local. Após algumas tragadas, no entanto, minha pressão caiu bruscamente... e eu também! Desmaiei no meio da galera na Red Light District! Depois de alguns segundos caído, acordei assustado e, no inverno holandês, achei ter caído dentro de um dos canais! Menos mal que a segunda parte foi só minha imaginação. Queria acabar de fumar o cigarro, mas a Lis não deixou!
Obviamente não foi essa a maconha culpada!

5. A cerveja nos fez perder o ônibus
Certa vez, quando morava perto do litoral catarinense e ainda não tinha carro, recebi a visita de uns amigos (André e Roberto - o mesmo da história do Fiesta). Resolvemos que seria uma boa ir até a praia, tomar umas cervejas e jogar conversa fora num ambiente mais legal. Lá fomos, de ônibus. Tomamos algumas e quando resolvemos voltar para casa, o último ônibus já havia partido! Das várias opções que pensamos para resolver o problema, ficar em um hotel ficou fora de cogitação pelo preço.. ficar ao relento aquela noite também não era uma ideia muito legal. Por sorte achamos o telefone de uma taxista que nos levou pra casa, num preço bem camarada! Ufa!


Para se deliciar com mais alguns perrengues, visite os blogs parceiros abaixo, e ria da desgraça alheia:

Casal Califórnia - Perrengues de Viagem: muitas histórias para contar 
Destinos por onde andei... - Tax Free, nunca mais embarco nessa canoa furada
Pequeno Grande Mundo - O dia em que quase fui atropelada por um elefante
Vida de Estrangeira - Perrengue na Turquia
Ligado em Viagem - Nosso de "Kit Viagem" para evitar perrengues
Foco no Mundo - Os piores perrengues das minhas viagens
Felipe, o pequeno viajante - Coletânea de perrengues do pequeno viajante 
Atravessar Fronteiras - Perrengue total na união entre cinzas vulcânicas e Aerolineas Argentinas
Despachadas - Coletânea de Perrengues de viagem Despachadas
Passeiorama - Perrengando por aí: nossos perrengues viajando em família
Família Viagem - Nossos perrengues de viagem
Mochilão Barato - Fiquei doente no exterior! E agora? Os dias que fiquei de cama no Chile.
Por aí com os Pires - Perrengues de viagem - Blogagem coletiva
Colecionando Ímãs - Viajando com a Ethiopian Airlines: perrengue a caminho do Japão!
O Melhor Mês do Ano - Torres del Paine: acampando sob chuva e ventos de 100km/hr 
Volto Logo - Sobre a importância de reservar hospedagem e pesquisar os feriados do seu destino Turista Fulltime - Voo cancelado e os oito passos para driblar o perrengue
Apure Guria! - Perrengues na Ásia: deu ruim! 
Viajei Bonito - Nossos 15 dias de desventuras na Rússia 
VoupraRoma - Grécia sem inglês! Tá falando grego?

sábado, 28 de maio de 2016

Avaliação: Hotel Bella Itália, Foz do Iguaçu

O Hotel Bella Itália é um dos melhores hotéis de Foz do Iguaçu. Nos hospedamos nele e confirmamos a fama. O hotel é muito bem localizado, na região central de Foz, com acesso muito fácil a lojas, bancos, agências de viagem e aos principais atrativos da região. Além disso, está a poucos metros de um shopping center.
Hotel Bella Italia, Foz do Iguaçu, por novocaroneiro.com
Foto: divulgação. www.hotelbellaitalia.com.br

Os apartamentos são bem limpos e bem decorados. O ambiente é realmente bastante agradável. Logo em nossa chegada fomos surpreendidos com uma delicadeza que nos encantou: docinhos nos esperando junto aos travesseiros! Não havia melhor forma de nos recepcionar! O quarto é bem completo, com frigobar, ar condicionado e um banheiro bem estruturado, com ducha muito boa.
Hotel Bella Italia, Foz do Iguaçu, por novocaroneiro.com
Bem feliz com o docinho cortesia

O hotel oferece garagem/estacionamento e wifi gratuito. Em sua estrutura tem ainda bar, restaurantes, agência de viagem para a contratação dos passeios, academia, piscina, salas de convenções e uma recepção de cinema!. Um dos pontos mais fortes do hotel e o café da manhã, bastante rico em qualidade e variedade. Excelente também é o atendimento da equipe que lá trabalha, bem educados e prestativos. Chegamos ao hotel várias horas antes da estipulada para o check-in (para aproveitar bastante a região) e mesmo assim fomos conduzidos a nosso apartamento, sem problemas.
Hotel Bella Italia, Foz do Iguaçu, por novocaroneiro.com
Foto: divulgação. www.hotelbellaitalia.com.br

No Hotel Bella Itália ocorre, também, o Jantar Italiano, um dos eventos mais tradicionais da cidade e que encanta os turistas. Participamos deste janar... mas logo voltamos para contar como foi.

Serviço

Hotel Bella Italia
Avenida República Argentina, 1700, Foz do Iguaçu, PR
(45) 3521 5000 -  Watsapp (45) 9147 2933
Hotel com quartos Luxo, com diárias a partir de R$165,00
Permite reservas online e possui certificado de excelência TripAdvisor
Para reservar, clique aqui

domingo, 22 de maio de 2016

Parque das Aves, Foz do Iguaçu, PR

Um local bem próximo ao Parque Nacional do Iguaçu e que merece ser visitado é o Parque das Aves. Este parque, que apresenta aos visitantes uma incrível quantidade de animais, principalmente aves, está sediado a poucos metros da entrada principal do Parque das Cataratas, e ambos podem ser visitados no mesmo dia.
Parque das Aves, Foz do Iguaçu, por novocaroneiro.com

No Parque das Aves há uma imersão no meio de vida dos pássaros. O Parque proporciona a oportunidade de o visitante entrar em imensos viveiros (que dão certa liberdade aos pássaros) e acompanhá-los bem de perto. São três grandes viveiros onde os pássaros ficam sobrevoando e chegam bem próximos aos visitantes. Os bichinhos mais desinibidos são os tucanos, que parecem até fazer poses para as fotos!
Parque das Aves, Foz do Iguaçu, por novocaroneiro.com

O Parque das Aves de Foz do Iguaçu está inserido em uma faixa de cerca de 16 hectares da Mata Atlântica. Muito bem estruturado, conta com cerca de mil aves, divididas em torno de 150 espécies diferentes. Além das aves, em um dos viveiros alusivo ao Pantanal, há alguns répteis como lagartos e algumas tartarugas. Estes animais dividem espaço tranquilamente com os pássaros, em um ambiente que simula seu meio ambiente natural.
Parque das Aves, Foz do Iguaçu, por novocaroneiro.com

Muito mais que um zoológico, o Parque das Aves agrega um lindo trabalho ao meio ambiente. Grande parte das espécies que vivem ali foram recuperadas das mãos de traficantes de animais. Outra grande parte nasceu por ali mesmo, em projetos de reprodução em cativeiro. Outras estão por ali, pois foram encontradas na natureza com debilidades, ou filhotes que caíram de seus ninhos. Enfim, além da emoção de ficar pertinho de animais silvestres tão bonitos, ainda se ajuda em sua preservação!
Parque das Aves, Foz do Iguaçu, por novocaroneiro.com

Serviço

Parque das Aves
Foz do Iguaçu-PR
Avenida das Cataratas, km 17, em frente ao Parque Nacional do Iguaçu
Horário: diariamente, das 8h30min às 17h
Valor do ingresso: R$30,00 (R$8,00 para moradores de Foz). R$15,00 para estudantes e maiores de 60 anos. Crianças até 8 anos de idade, acompanhadas de pagante, não pagam ingresso.
Site oficial: http://www.parquedasaves.com.br/pt/

domingo, 15 de maio de 2016

Parque Nacional do Iguaçu

Um dos locais mais marcantes em que já estive. Assim posso começar os relatos de minhas passagens pelo Parque Nacional do Iguaçu. Tive o prazer de visitar este belíssimo cenário em duas oportunidades. E mesmo assim, sinto vontade de voltar. As paisagens são incríveis, a força da natureza é impressionante. Tudo emoldurado pelo poder humano que estrutura e dá suporte para quem deseja conhecer estes cenários em detalhes e quase fazer parte de tudo isso. Enfim, viagens inesquecíveis!
Parque Nacional do Iguaçu, por novocaroneiro.com

Minha primeira passagem em Foz do Iguaçu foi em uma viagem solitária, aproveitando um final de semana prolongado. Na época eu ainda vivia em Lavras do Sul, cidade gaúcha, na fronteira, e viajei de ônibus. Foram muitas horas. Na verdade praticamente o dia todo na estrada, viajando com empresas Ouro e Prata (entre Lavras e Porto Alegre) e Pluma (entre Porto Alegre e Foz do Iguaçu). Na segunda viagem, já acompanhado de minha esposa Lis, partimos de carro de Joinville, passando por excelentes estradas, mas pagando pedágios bem caros. O custo benefício foi favorável, mesmo assim. Viajamos boa parte da madrugada, para chegar em Foz cedinho e não perder nenhum minuto.
Parque Nacional do Iguaçu, por novocaroneiro.com

Foz do Iguaçu (Brasil), Puerto Iguazu (Argentina) e Ciudad del Este (Paraguai) formam a Tríplice Fronteira. Unindo as três cidades vizinhas há uma enorme quantidade de atrativos e locais para serem visitados. Recomendamos conhecer os bares (incluindo o Bar de Gelo) e restaurantes e as ruas bucólicas de Puerto Iguazu, o comércio popular e os shoppings de Ciudad del Este, os restaurantes, a Usina de Itaipu e o Templo Budista na cidade brasileira.

Apesar de tantos atrativos, fica claro que o motivo principal da enorme maioria das visitas à região se dá para prestigiar Cataratas de Iguaçu. Pela sua grandiosidade e importância para o planeta, as Cataratas do Iguaçu são consideradas Patrimônio Natural pela UNESCO, só para colocar o leitor a par do que representa este local para o mundo.
Parque Nacional do Iguaçu, por novocaroneiro.com

Traremos nossa experiência pela região em vários posts, abordando cada um dos lugares que visitamos e gostamos. Para começar, falaremos sobre o

Parque Nacional do Iguaçu

O Parque Nacional do Iguaçu é um Parque nacional, que engloba muita vegetação, fauna e, claro, lindas paisagens com as mais famosas quedas d´água do País. Criado em 1939, abriga atualmente algumas espécies típicas da Floresta Amazônica, além de animais sendo preservados da extinção, como onça-pintada, puma, jacaré do papo amarelo e algumas aves. Confirmando toda sua importância, no ano de 2014 o Parque recebeu mais de 1,5 milhão de visitantes.
Parque Nacional do Iguaçu, por novocaroneiro.com

Como chegar ao Parque

Na primeira vez que estive na região, me desloquei até o Parque utilizando o transporte público. Há um terminal de ônibus pertinho do centro da cidade (chamado de TTU). Lá é possível embarcar em ônibus urbanos para os diversos atrativos de Foz do Iguaçu, sem a necessidade de contratação de vans ou de táxi. O valor da passagem é de cerca de R$3,00, e o desembarque ocorre exatamente em frente à entrada do Parque. Para quem deseja mais conforto, ou ir em tempo mais rápido, pode-se contratar o transporte em diversos hotéis (recomendamos a empresa Loumar Turismo).

Ingressos

Informações sobre ingressos e horários podem ser obtidos no site do parque, e podem ser adquiridos na hora. Em feriados pode haver filas para o acesso e para conseguir vaga no transporte interno (falaremos mais abaixo).
Parque Nacional do Iguaçu, por novocaroneiro.com

Atrações e nossa experiência

O Parque Nacional das Cataratas é imenso! Por isso, logo após a entrada é disponibilizado o transporte que leva o visitante até as trilhas que permitem a visualização das famosas quedas d´água. O ônibus panorâmico inicia a integração dos visitantes com a natureza, ao percorrer um trecho em meio a floresta (através de ruas asfaltadas). Os ônibus são bem simpáticos e tem, em sua pintura, a exposição de animais que moram no parque, como onça, ou quati. O ônibus faz algumas paradas, podendo-se escolher onde começar a caminhada de desbravamento do local. Paramos logo no início das trilhas, visando ter todas as vistas possíveis das cataratas.
Parque Nacional do Iguaçu, por novocaroneiro.com

É grande a emoção ao se visualizar as quedas pela primeira vez. Um dos patrimônios naturais do planeta ali na nossa frente, mesmo que sendo vista através das árvores, é um momento incrível. Pode-se sentir como é grande o poder da natureza. E conforme vai se andando, novos ângulos vão se apresentando. Cada vez chega-se mais próximo ao belíssimo cartão postal. Ao percorrer as passarelas, o passeio fica ainda mais emocionante. Podemos nos sentir dentro das cataratas. Na passarela que leva à queda mais famosa, a Garganta do Diabo, o banho torna-se praticamente obrigatório. Muitas gotículas de água concluem a integração do visitante com o cenário. Lindíssimo!
Parque Nacional do Iguaçu, por novocaroneiro.com

As trilhas percorridas são, em sua enorme maioria, pavimentadas e estruturadas com corrimãos e escadas, quando necessário. O Parque é muito bem estruturada com sanitários (na entrada e dentro do parque, nas trilhas), restaurantes, lanchonetes, lojas de souvenirs, fotógrafos, lojas de artigos fotográficos... enfim, tudo o que for preciso durante o passeio.
Parque Nacional do Iguaçu, por novocaroneiro.com

No interior do parque há o restaurante Porto Canoas. Uma boa opção para almoço durante a visita. Há alguns pacotes comercializados por operadoras que incluem o almoço por lá. O restaurante está localizado próximo à garganta do diabo, com vista das águas. Fora de pacote o valor é um pouco caro, valendo mais a pena fazer um piquenique pelo parque.
Parque Nacional do Iguaçu, por novocaroneiro.com

Tornando a experiência completa, fizemos o passeio Macuco Safári. Trata-se de um passeio que une a exuberante mata Atlântica em carros elétricos a uma viagem literalmente para dentro das cataratas, através de botes a motor. Os barcos percorrem o rio, com lindas vistas das cachoeiras (algumas quedas só podem ser vistas de barco). Além disso, o barco faz manobras que levam o turista a tomar banho nas cachoeiras de Foz do Iguaçu. Foi a melhor parte de nosso passeio! O preço é que não é tão atrativo, mas é possível negociar o valor direto no local. Mais informações aqui.

Veja nossas fotos de Foz do Iguaçu e região:
https://www.flickr.com/photos/novocaroneiro/sets/72157655481188748

terça-feira, 10 de maio de 2016

Passeio noturno de ônibus em Paris

Um boa opção de passeio para se observar os principais pontos turísticos de Paris iluminados é o Hop On Hop Off Noturno (ou Paris by Night). Trata-se de um passeio de cerca de uma hora e meia pelas principais atrações da Cidade Luz a bordo de um ônibus panorâmico. Além de observar as lindas cenas urbanas iluminadas, pode-se escutar as histórias e informações dos principais pontos turísticos em diversas línguas, dentre elas o português.
Paris by Night, por novocaroneiro.com

O passeio é efetuado em um ônibus de dois andares. Durante o verão, o segundo andar é aberto. Como fomos no inverno, prudentemente havia uma capota nos protegendo. O trajeto inicia próximo ao Museu do Louvre, em uma das lojas da agência que comercializa o passeio e passa por pontos como a Champs Elysées, Place de la Concorde, Arco do Triunfo, Trocadero, Notre Dame, Moulin Rouge, Torre Eiffel e outros.

Nossa experiência neste passeio começou quando, no trem, voltando pro hotel, vimos um panfleto sobre passeios na região de Paris e na Bélgica. Nos interessamos pelo passeio de um dia em Bruges. Chegamos ao hotel e telefonamos para a agência, pegamos algumas informações e indicaram que havia dois lugares para a viagem do dia seguinte, mas que para reservar o passeio deveríamos ir até lá em 20 minutos, pois a loja logo fecharia. Fomos correndo novamente para o metrô e chegamos a tempo... porém informaram que só havia mais um lugar disponível. Ficamos bem frustrados, mas já que estávamos ali, compramos dois ingressos para o passeio de ônibus noturno do dia seguinte.

O passeio foi legal, lindas imagens, mas foi um pouco frustrante. O ônibus passa muito rápido pelos pontos (já que são tantos!) e tudo devia ser admirado rapidamente e sem tempo para fotos legais. Exceção foi a Torre Eiffel, onde o ônibus parou por alguns minutos, aproveitando o tempo em que a torre pisca (alguns minutos, a cada hora cheia).

O valor do tíquete gira em torno dos 30 dólares por pessoa, e é comercializado tanto nas lojas físicas em Paris, como em sites diversos.